Arquivo para maio \29\-04:00 2010

29
maio
10

Livros de sucesso auxiliam as estratégias de leitura

Muito legal o que está acontecendo nas escolas hoje. Pois vou te contar… Ter que ler “Senhora”, “O Primo Basílio”, “Morte e Vida Severina” (apenas de eu gostar), “A Hora da Estrela” (adoro) etc. por obrigação, pelo vestibular, é muito ruim. Muito mais interessante é quando se pode mesclar, aquilo que temos que ler por alguma razão e o que gostamos e a escola estimular isso.

Será que o sistema educacional enfim está dando passos positivos? I hope so…

Matéria publicada no jornal A Tarde do dia 10 de Maio de 2010, no caderno Educação, na página A7

Livros de sucesso auxiliam as estratégias de leitura

Séries que se tornaram best sellers, como Crepúsculo, passaram a ser incluídas nas listas das escolas para auxiliar os estudos de língua portuguesa

CLEIDIANA RAMOS

Na década de 1990 quando a internet e os computadores pessoais se tornaram mais acessíveis no Brasil, era comum escutar que as crianças que seriam os futuros jovens não iam ter contato com os livros. A geração pós-MTV teria, achava-se, intimidade apenas com as mídias eletrônicas.

Mas livros publicados em séries como O Senhor dos Anéis, Harry Potter e a saga vampiresca encabeçada por Crepúsculo mostram que a garotada pode ser bem mais fissurada em novas mídias, mas nem por isso esqueceu o papel. As escolas estão acompanhando atentamente este fenômeno.

O Colégio Marista, por exemplo, resolveu, no ano passado, incluir a saga da história de amor entre o vampiro Edward e a mortal Bella em sua Ciranda Literária. O evento acontece durante todo o ano com o objetivo de estimular a leitura.

Febre “Incluímos Crepúsculo e Lua Nova e foi uma febre”, destaca a professora e coordenadora da área de língua portuguesa do colégio, Caren Costamilan. Um aspecto que chamou a atenção da professora é que os garotos que, no início, mostravam uma certa resistência por considerar as histórias “coisa de meninas”, aos poucos também começavam a ler.

“Os meninos queriam descobrir o porquê do fascínio das meninas pelo personagem Edward”, relata a professora que, embora destaque a necessidade de despertar o interesse pela literatura nacional, aponta a importância de se ter ferramentas pedagógicas que já caíram no gosto dos jovens.

“O importante é que estes livros estão levando os meninos a ler, o que já é um grande começo”, acrescenta.

Pensamento parecido tem a professora de Redação Renilza Braga. “Os livros clássicos também estão presentes,mas utilizamos estes recursos que despertam a curiosidade dos alunos e oferecem estímulo”, completa.

De acordo com a professora Renilza há componentes que já vêm embutidos, mesmo nesta leitura mais livre,como enriquecimento do vocabulário.

Para a coordenadora pedagógica do ensino médio da escola, Lizethe Mira, este tipo de estratégia ajuda a explorar as várias possibilidades do ensino de Literatura.

“A Literatura é um processo que também deve envolver, divertir e dar prazer”, afirma.

Dentre os alunos, Literatura já se tornou um assunto que rende horas de um debate bem entusiasmado.

Em cerca de uma hora, vários títulos vão sendo citados.

“Eu gosto muito de romances. Li a saga de Crepúsculo, claro, porque também todo mundo só falava nisso durante um tempo e eu não queria ficar de fora, mas gosto de vários outros livros e autores”, diz Glice Esquivel, 15 anos, aluna do 2º ano A.

Diversidade
“Meu gosto também é bem diversificado. Gosto, por exemplo, de O Nome da Rosa, completa Brenda Barreto, 16 anos, aluna do 2º ano B. Após navegar pela literatura moderna, os estudantes do ensino médio do Marista estão revisitando clássicos.

Para o estudo do gênero “conto” eles estão passeando por novas versões, inclusive para o cinema, de histórias como Chapeuzinho Vermelho e Cinderela.

28
maio
10

House of Night – Caçada

Dando continuidade aos nefastos acontecimentos de “Indomada”, o quinto livro da série “House of Night”, “Caçada”, das autoras P.C. Cast e Kristin Cast, mãe e filha, respectivamente, já começa eletrizante, deixando o leitor angustiado para saber se Stevie Rae sobreviveria ou morreria… mais uma vez.

Zoey, seus amigos, Darius, Erik e os vampiros vermelhos estavam nos túneis subterrâneos, após terem conseguido escapar de Neferet, Kalona e seus filhos, os Raven Mockers.

Após muitos momentos de sufoco Stevie Rae consegue sobreviver ao ataque de Stark, com uma flechada no tronco. Zoey tenta bolar um plano para salvar não apenas os amigos, mas a Morada da Noite e toda Tulsa. Concomitante a isso ela consegue se entender com Erik e eles reatam o namoro, mas a lua de mel não dura muito, pois Heath aparece e quando estava indo embora acaba mexendo com os sentimentos da garota. Para defender o ex-namorado humano, ela acaba sendo atacada por um Raven Mocker e quase perdeu a vida.

Para não perderem a amiga, os vamps decidem levá-la de volta à Morada da Noite para receber o tratamento adequado, mas não a deixam sozinha e vão com ela. Mas lá as coisas estão realmente ruins. Neferet está cada vez mais má e poderosa e Kalona estava enfeitiçando a todos, não apenas aos vampiros novatos, mas também aos professores. Zoey estava de mãos e pés atados. Mas algo inesperado acontece e ela ganha um apoio fundamental na sua luta contra o mal.

Enfrentando as tentações da beleza de Kalona, Zoey é confundida pelo anjo caído com A-ya, a boneca feita pela terra e barro pelo povo Cherokee que o aprisionara na terra por mais de mil anos. Sem saber como lidar com Kalona, Zoey se mantém firme, mas nos sonhos ela se esforçava para não sucumbir ao desejo de se entregar à tentação.

Após um plano mal elaborado e feito muito rapidamente, eles conseguem fugir e vão para o lugar onde Zoey acreditava ser o mais seguro do mundo. Lá eles teriam que provar todos os seus dons e poderes, pois iriam enfrentar o maior desafio de suas vidas.

O quinto livro é legal, a ponto de você querer não fechá-lo, mas não é de longe o melhor da série. Esteticamente falando é cheio de erros de tradução. O Tradutor, Johann Heyes, comete erros ridículos. Quando ele comenta sobre um personagem ele erra os nomes, ao falar dos fatos que aconteceram nos livros anteriores, mais uma vez ele troca os nomes… Isso para mim é o fim! O livro demorou demais de ser lançado no Brasil. Quando estava em pré-venda no Brasil eu comprei no site da Saraiva, demorou de anunciarem que a venda estava liberada. O prazo do lançamento atrasou e mesmo assim lançaram com erros básicos, bestas e um leitor, nem muito atento, os nota. Uma série que faz tanto sucesso, que está arrebatando tantos leitores, com promessa de ganhar uma adaptação para o cinema, deveria ter um revisor ou tradutor melhor, nós, leitores, merecemos isso!

27
maio
10

House of Night – Indomada

Zoey Redbird e seus melhores amigos da Morada da Noite estão passando por um período difícil, um problema de relacionamento na amizade deles. Pois no livro anterior, Zoey teve que manter segredos deles e teve como aliada a pessoa mais improvável do mundo: Aphrodite (cá para nós a personagem que mais gosto). Enquanto Zoey atravessava um período difícil, não pode de fato estar com os amigos da forma mais honesta que ela gostaria. Primeiro ela perdera a sua melhor amiga e descobrira que ela, de fato, não morrera e sim transformara-se em um monstro sugador de sangue e revivera por causa da nefasta Grande Sacerdotisa que estava traindo a todos. Além disso, Zoey estava traindo o namorado vamp Erik com o humano Heath e o professor poeta laureado Loren. Toda essa confusão não podia ser compartilhada com nenhum dos amigos, a não ser com Aphrodite por uma única razão: as duas únicas mentes que Neferet não conseguia invadir era a delas duas, se ela contasse algo aos amigos, a Sacerdotisa descobriria. Todo o tempo o objetivo de Neferet era deixar Zoey sozinha, sem amigos para que conseguisse botar em prática uma idéia terrível que arriscaria a vida de humanos e vampiros.

No entanto, Zoey consegue não apenas o perdão dos amigos, como também fazer com que sua melhor amiga, Stevie Rae e os vampiros vermelhos recuperassem a sua humanidade, deixando de ser os monstros sugadores de sangue que só se importavam com sangue e nada mais. No entanto, fazer esse bem por Stevie Rae, causara um mal terrível a Aphrodite que deixara de ser vampira para voltar a ser humana. Com isso a garota surta e vai procurar refúgio no lugar onde seria o último que qualquer pessoa a procuraria. Mas nada estava terminado para Aphrodite, ela ainda retornaria e daria o ar de sua graça e humor sarcástico muitas e muitas vezes (amém, se ela saísse da história, para mim, a série perderia a graça).

Se não bastasse todos esses problemas, Zoey ainda tinha que lidar com o mal que estava ameaçando pairar não apenas na Morada da Noite, mas em toda Tulsa. Segundo a mitologia Cherokee, do povo da avó de Zoey, um anjo caído, Kalona, escravizara os homens e estuprara as mulheres, fazendo com que elas gerassem seus filhos que eram uma mistura sinistra e malévola de aves e humanos, os Raven Mockers. Cinco importantes mulheres Cherokee criaram uma mulher do barro e da terra que aprisionara Kalona.

Mas Neferet com seu plano maquiavélico trouxera de volta à vida, Kalona, as custas de Stark, um vampiro recém chegado à Morada da Noite, que recebera um dom muito especial de Nyx, e de Stevie Rae, que quase perdera a vida para que a Grande Sacerdotisa conquistasse o que queria.

Com a aparição de Kalona e os Raven Mockers, só restava a Zoey e sua turma fugir para o único lugar seguro no mundo: embaixo da terra. Com Stevie Rae a beira da morte, o mal encarnado solto, Erik transformado em vamp adulto, rompida a carimbagem com Heath, Loren morto, Neferet abandonado a deusa e com sua avó em coma em um hospital, Zoey só podia torcer para que as coisas melhorassem e tivesse muita sorte para reverter essa situação.

O quarto volume da série House of Night, escrita por uma mãe e sua filha, P. C. Cast e Kristin Cast, respectivamente, “Indomada” é tão bom quanto os demais, mas senti falta só de uma coisa: esperava que a autoria dos assassinatos ocorridos fosse descoberta. Eu imagino que na verdade quem tenha matado tanto Loren quanto a outra professora, Nolan, se não me engano, tenha sido de fato Neferet e não um grupo de católicos fanáticos. Com o lançamento do quinto livro, “Caçada” tinha fé que a autoria surgisse, mas mais uma vez nada de falarem nisso… Fico meio frustrada, porque isso foi um fato que mexeu com os nervos dos estudantes e dos professores, envolveu um conflito entre vampiros e humanos, mas simplesmente as autoras preferiram fingir que não aconteceu do que esclarecer para os leitores. Eu simplesmente adoro a série. É um tipo de coleção de livros sobre vampiros que mescla a história com bruxaria e magia, com mitologia indígena e tudo, mas pecou neste detalhe. Uma trama bem amarrada deve esclarecer tudo para os leitores, não fazê-los questionar buracos na história. Ainda tenho fé de que até o término da série as autoras revelem quem cometeu os assassinatos, confirmem se foram os religiosos ou se foi Neferet depois que surtou por causa de todo o seu poder e o seu medo dos poderes de Zoey.

26
maio
10

Lei prevê que bibliotecas de escolas sejam administradas por profissionais habilitados

Vi essa notícia hoje cedo e senti uma certa alegria, mas também desconfiança…

Será ótimo se essa lei for cumprida, mas como o cumprimento de leis no Brasil é algo que não se leva a sério, principalmente no que diz respeito a educação e a cultura, o desânimo é evidente.

Mas vou torcer para que realmente as escolas sigam o que comunica o DO da União e passem a ter pelo menos um livro por aluno. Com incentivo devido acredito que o Brasil possa ter mais leitores, o que seria um grande avanço cultural e educacional…

Real Gabinete Português de Leitura – Rio de Janeiro

Educação

Lei prevê que bibliotecas de escolas sejam administradas por profissionais habilitados

Publicada: 25/05/2010 19:38| Atualizada: 25/05/2010 19:32

Agência Brasil

A lei publicada hoje (25) no Diário Oficial da União que obriga todas as escolas públicas e privadas a terem uma biblioteca também estabelece que o espaço deverá ser administrado por profissionais da área. Para a presidente do Conselho Federal de Biblioteconomia (CFB), Nêmora Rodrigues, esse detalhe faz toda a diferença porque sem a organização adequada a biblioteca fica subutilizada.

Segundo o Censo Escolar de 2009, 28,2% das escolas públicas do país contam com bibliotecas, atendendo a 53% das matrículas da educação básica. “Nós tivemos muito trabalho para aprovar uma lei que deveria ser o óbvio: todas as bibliotecas deveriam ser aparelhadas e contar com profissionais habilitados”, ressalta Nêmora.

Mesmo que a escola conte com o equipamento, é preciso profissionais capacitados para que o espaço não se transforme em um mero “depósito de livros”. “O profissional da área vai prestar serviços tanto na questão da organização de acervos quanto na promoção das atividades que atraiam os alunos para utilizar a biblioteca para ampliar os conhecimentos de sala de aula. Também é um ponto importante de acesso de informação para professores e a comunidade”, defende a presidente da entidade.

A lei estabelece que toda escola tenha um acervo de livros de pelo menos um título por aluno matriculado. O prazo para instalar as bibliotecas é de dez anos.

Pesquisa divulgada em abril pelo Ministério da Cultura aponta que 445 municípios do país não têm biblioteca, o que representa 8% do total. O estado com o maior número de cidades sem esses espaços para leitura é o Maranhão (61). As bibliotecas municipais brasileiras têm em média 4,2 funcionários e a maioria (84%) é mulher. Entretanto, 52% dos trabalhadores desses estabelecimentos não têm capacitação para a atividade.

Fonte:  http://migre.me/IFrW

25
maio
10

Diário de um banana – A gota d’água

A série Diário de um Banana, para mim, começou muito boa, arrancando sorrisos e risos. O primeiro livro é simplesmente sensacional, o melhor. O diário de Greg tem histórias muito engraçadas, com situações divertidas e relata dúvidas e partes do cotidiano bastante comuns para um garoto de 11, 12 anos. E é um prato cheio para quem curte HQs.

O primeiro diário de um banana fez tanto sucesso, vendeu tanto nos Estados Unidos e ao redor do mundo que o estúdio 20th Century Fox comprou os direitos do livro e já inclusive terminou de gravar o filme, que tem previsão de lançamento na terra de Tio Sam em 19 de Março de 2011. Imagino que o filme vá ficar muito legal, pois a ideia do autor Jeff Kinney é muito interessante. Para quem quiser saber um pouquinho mais da história de Greg pode ler os posts anteriores que fiz sobre os outros livros, ou acessar o site oficial de diário de um banana basta entrar no site oficial http://www.wimpykid.com/

E para quem ainda não viu o trailer do filme

O sucesso não se refletiu apenas em uma adaptação para o cinema, o próprio autor, Kinney, decidiu presentear os leitores com uma sequência. O segundo livro, “Diário de um banana – Rodrick é o cara” é também muito divertido, dando uma maior participação nos acontecimentos da vida de Greg à Rodrick, o seu irmão mais velho que, como todo irmão mais velho, tira um bom sarro quando pode do irmão mais novo e como adolescente se acha o máximo, não sendo nem um pingo um modelo a ser seguido por Greg.

O terceiro livro, “Diário de um Banana – A Gota D’água” está mais voltado para a família como um todo, a relação com o pai, a mãe e alguns vizinhos que acabam tendo uma participação decisiva no futuro de Greg. Mas dos três é o que eu considerei o mais fraco e menos engraçado. Como se o autor tivesse utilizado todas as boas e melhores piadas e momentos divertidos nos dois primeiro livros. A vida de Greg está bem menos agitada, com problemas menores para se preocupar, como quem anda roubando, dentro da sua própria casa, os biscoitos que ele levaria para lanchar na escola, como solucionar o fato de que agora o ônibus não passa mais na sua rua e ele precisa ir andando para a escola em companhia do seu amigo meio infantil, Rowley e o triste dilema se o seu pai o mandará para uma academia militar para evitar que o garoto se torne um adolescente arruaceiro.

O livro está longe de ser ruim, apenas não conseguiu ser tão atrativo e engraçado como os anteriores. O próximo livro ainda não tem data prevista para chegar ao Brasil, pois só será lançado em outubro nos EUA, mas o título já foi divulgado: “Dog Days” (não vi o porque de ter o título “Faça você mesmo” em português, já que no original é totalmente diferente… enfim… coisa de brasileiro). Desejo muito que seja nos moldes dos anteriores que são sensacionais.

Para quem conhece a série ou é fã, e não tem problemas com o inglês, esta é uma entrevista bem legal com o autor, Jeff Kinney em que ele fala sobre os outros livros e também do próximo lançamento, previsto para 12 de outubro (será uma coincidência com o dia das crianças?).

Para quem conhece a série ou é fã, e não tem problemas com o inglês, esta é uma entrevista bem legal com o autor, Jeff Kinney em que ele fala sobre os livros.




Melissa Rocha

Jornalista apaixonada por cachorros e literatura, principalmente o gênero infanto-juvenil. Torcedora (e sofredora) do Palmeiras e Bahia. Fã de Drew Barrymore, Dakota Fanning, Anthony Kiedis e Red Hot Chili Peppers, All Star e Havaianas.

Blog Stats

  • 1.570.166 hits

No Twitter

RSS Ocasional

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
maio 2010
S T Q Q S S D
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Páginas

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se aos outros seguidores de 77

Mais Avaliados