Posts Tagged ‘Lemony Snicket



16
dez
09

Desventuras em Série – A Cidade Sinistra dos Corvos

Ao término do sexto livro, “O Elevador Ersatz”, da série “Desventuras em Série”, os leitores se depararam com alguns suspenses, algumas pistas para a nova aventura e algumas questões que ficaram sem resolver. No sétimo livro, “A Cidade Sinistra dos Corvos”, o autor Lemony Snicket, mais uma vez nos entretém com novas desventuras dos perseguidos órfãos Baudelaire. Após a perda dos pais e terem estado sob tutela de seis diferentes pessoas, desta vez, os irmãos ficarão sob a guarda de uma cidade inteira. Para isso, o Sr. Poe decide inscrever as crianças em um programa de adoção para menores e, assim, eles precisariam escolher uma cidade dentro de uma relação do programa “É Preciso uma Cidade para Educar uma Criança”. Ao verem que havia uma cidade chamada Cultores Solidários de Corvídeos, imediatamente eles imaginam que se tratava do mistério por trás das letras C.S.C. Que foi exposto a eles desde o quinto livro, “Inferno no Colégio Interno” pelos irmãos Quagmire quando eles foram sequestrados pelo arqui-inimigo e vilão da história, Conde Olaf.

A cidade Cultores Solidários de Corvídeos, ou C.S.C., como normalmente é chamada pelos moradores, que muitas vezes nem se lembram mais como é o nome verdadeiro da cidade, por sempre chamá-la de C.S.C. foi fundada há mais de 300 anos no momento em que alguns exploradores interessados no padrão migratório dos corvos, estabeleceu no local, uma base de observação desta espécie de aves. Os corvos continuam sendo inúmeros no local, mesmo após tentos anos tendo se passado. Eles pousam na cidade durante todo o dia, em locais diferentes conforme os horários. Pela manhã eles ficam na parte alta da cidade, pós meio-dia migram para a parte baixa e a noite dormem na Árvore do Nunca Mais.

Mesmo tendo como tutor a cidade inteira, foi designado que as crianças deveriam, em um primeiro momento, ficar sob os cuidados de um homem chamado Hector. Violet, Klaus e Sunny deveriam morar com ele e aprender o ofício de Hector: factótum e cabia às crianças limpar a cidade todos os dias. Além disso, os meninos são obrigados a aturar e obedecer a milhares de regras inúteis estabelecidas pelo Conselho dos Anciãos, um grupo de habitantes da cidade que discute os mais variados assuntos e estabelecem as regras que devem ser seguidas por todos os moradores. Os anciãos da cidade durante os conselhos utilizam um chapéu em formato de corvo.

Com a chegada dos irmãos Baudelaire à cidade, os moradores foram comunicados da existência do Conde Olaf e do seu histórico de ambição e perseguição às crianças. Fora o aborrecimento em ter que obedecer às regras impostas aos cidadãos de C.S.C., os órfãos não estavam tendo uma vida péssima. No entanto, continuavam preocupados e curiosos quanto ao desaparecimento dos amigos e gêmeos Quagmire.

Mas as coisas começam a se complicar na nova morada de Violet, Klaus e Sunny. Os moradores de C.S.C. acreditam ter capturado o conde Olaf, mas imediatamente as crianças percebem que a pessoa capturada não se trata de Olaf e sim Jacques. Ele fica desesperado, pois está algemado e está sendo chamado de alguém que ele realmente não é.

Olaf já estava na cidade e os irmãos não sabiam. Mais uma vez ele está fantasiado e se passando por alguém que ele não é. Ao tomar conhecimento que Jacques Snicket fora preso e estava sendo acusado de ser o conde, Olaf arquiteta um plano, que consistia em matar Jacques enquanto ainda as pessoas não tivessem descoberto que ele não era um impostor e, assim, ser tido como morto. Após realizar o assassinato, enquanto Jacques ainda estava na cadeia, Olaf dá um jeito de armar para que as crianças fossem acusadas do crime.

Olaf reaparece em cena, desta vez fantasiado de um detetive famoso, chamado Dupin. E tenta de todas as formas provar que as crianças são as verdadeiras culpadas do crime que ele próprios cometera.

Por outro lado, as crianças a todo momento na história, tentam decifrar os versos em dístico escritos por Isadora Quagmire. Nos dísticos havia pistas sobre o local onde dos gêmeos estavam aprisionados. Eles descobrem, decifrando os versos que a letra inicial de cada dístico formam a palavra “chafariz”. Os meninos arquitetam um plano para encontrar o chafariz da cidade, o Chafariz Corvídeo, e lá descobrem os Quagmire e o esconderijo de Olaf e sua trupe.

Na trama ainda há a indignação dos Baudelaire sobre um artigo de jornal que eles lêem na primeira página de um jornal. No artigo havia um relato de que o vilão Olaf havia sequestrado além das crianças Quagmire, também Esmé Squalor. Os órfão sabiam que o texto era inverídico, pois a antiga tutora deles não havia sido sequestrada coisa nenhuma. Ela havia sido aluna há algum tempo atrás do vilão e fugira com ele. Eram na verdade aliados de um plano maligno para se apoderar de toda fortuna dos Baudelaire. Inclusive eles oficializam um namoro e este livro da série, infelizmente, não é o último em que ela aparece para atazanar o juízo e sossego dos desafortunados órfãos.

Após o confronto para o resgate dos Quagmire, Hector foge com os gêmeos em segurança, mas os Baudelaire ficam para trás, pois a policial Luciana, que na verdade é Esmé disfarçada, não permite que os Baudelaire sejam levados por Hector.

O que será das crianças de agora em diante? Será que mais uma vez eles conseguirão escapar das garras afiadas do odioso Olaf e agora também da sua fiel aliada e parceira, a nefasta Esmé? As respostas estão nos próximos volumes da coleção.

Anúncios
21
out
07

Desventuras em Série – A Sala dos Répteis

“A Sala dos Répteis” é o segundo volume de uma seqüência de 13 livros da coleção “Desventuras em Série”. O leitor reencontra Violet, Klaus e Sunny Baudelaire, os adoráveis azarados jovens órfãos. Após um verdadeiro pesadelo vivido com Olaf como tutor dos pequeninos órfãos são enviados pelo banqueiro Sr. Poe para viver com um outro parente não muito próximo, o professor Montegomery Montegomery, herpetologista, especialista em répteis e que tem na casa diversas espécies desses seres, o que deixa as crianças simplesmente fascinadas.

As crianças então precisam viajar pelo Mau Caminho no carro de Sr. Poe para conhecerem o novo tutor e a casa onde passariam a viver. Tio Monty torna a vida das crianças menos dolorosa e eles se sentem felizes ao lado de alguém que se preocupa realmente com eles. Os leva para o cinema e parece que finalmente os órfãos viverão momentos de alegria e felicidade, após a tragédia que marcou profundamente suas vidas. Mas não vamos nos esquecer que essa é uma história triste e infeliz e os momentos de alegria e felicidade dos pequenos Baudelaire não passam de momentos raros, curtos e passageiros.

Mistérios e mortes marcam esse segundo volume. As crianças viverão aventuras ao lado de um tio fissurado em répteis, conhecerão uma Víbora Incrivelmente Mortífera e enfrentarão um auxiliar pra lá de suspeito. O leitor mais esperto saca logo que na verdade esse auxiliar, Stephano é o conde Olaf disfarçado, não vamos nos esquecer que ele tem fissura por teatro e, portanto, muita facilidade para conseguir disfarces e fantasias. Mas as crianças conseguem desvendar o mistério do estranho auxiliar, eles conseguem identificar a tatuagem em forma de olho no tornozelo de Olaf e descobrem a verdadeira identidade do vilão. Com essa nova identidade, Olaf quase conseguiu sequestrar as crianças após arquitetar a morte de Montegomery envolvendo um de seus répteis. Mas quando estavam sendo levados no carro de Olaf, este bate no carro de Sr. Poe, vendo-se obrigados a voltar para a casa de Montegomery. As crianças tentar argumentar que o tio Monty foi assassinado por Olaf, mas como geralmente acontece nos filmes e livros que envolvem crianças como testemunhas, elas não são levadas a sério.

Violet encontra uma mala de Olaf e mostra ao Sr. Poe alguns objetos que poderiam servir como evidência de que Stephano era na verdade Olaf disfarçado, mas como ele de bobo não tem nada, deu um jeito de maquiar a sua tatuagem e o Sr. Poe pede que Olaf mostre o tornozelo para comprovar as suspeitas, mas não há tatuagem alguma. As crianças insistem que a tatuagem estava maquiada e Sr. Poe então decide dar um crédito aos meninos, passa a mão no local indicado pelas crianças e a tatuagem do olho se revela. Olaf, pego, acaba confessando que acabou matando o verdadeiro auxiliar de tio Monty, mas mesmo assim ele, novamente, consegue escapar.

As crianças, mais uma vez, precisam ir embora e irão viver em um novo lar de algum outro parente.

Assim como no primeiro volume Lemony Snicket prende os seus leitores da primeira à última página, revelando alguns mistérios e deixando muitos outros rondando as cabecinhas dos órfãos Baudelaire e também dos seus leitores.

Mais um trechinho do filme, uma parte muito engraçada em que dá para vermos o jeitinho todo especial de Sunny falar.

20
out
07

Desventuras em Série – Mau Começo

desventuras.jpg

O Universo Literário, a partir de hoje, traz uma seqüência de posts sobre as desventuras vividas por três adoráveis e azarados órfãos. A dica de leitura é sobre um não, mas treze livros, “Desventuras em Série”.

O primeiro livro das “Desventuras em Série” – “Mau Começo” conta a história de Violet Baudelaire (uma adolescente de 14 anos que tem um dom muito especial: é uma inventora que sempre quando quer ter novas idéias amarra uma fita no cabelo para a franja não cair nos olhos e atrapalhar seus pensamentos).

Klaus Baudelaire (um garotinho de 12 anos que apesar da pouca idade já leu mais livros que eu e você juntos e sempre quando começa suas pesquisas limpa os óculos e aperta os olhinhos para refletir melhor).

Sunny Baudelaire (um bebe que ainda não anda, só tem 4 dentes e fala de um jeito especial e os únicos capazes de entendê-la são seus dois irmãos e sua atividade favorita é morder).

Os Baudelaire são três crianças que viviam vidas normais com seus pais em uma mansão, porém em um fatídico dia em que eles resolvem ir à praia (Praia de Sal) para um passeio, recebem a notícia por Sr. Poe, um banqueiro amigo da família, que um incêndio ocorrera em sua casa e matara seus pais.

Desolados e sem saber o que fazer, as três crianças ficaram sob os cuidados do Sr. Poe, que inclusive controlam a herança dos meninos. Mas a temporada em que eles passam com o Sr. Poe não é muito fácil e feliz. Os dois filhos do banqueiro parecem não gostar muito dos Baudelaire e demonstram isso. Eles, por outro lado, não gostam do cheiro da casa em que estavam vivendo temporariamente. Mas o testamento dos falecidos pais Baudelaire determina que as crianças sejam criadas por um parente, mesmo que seja distante.

O Sr. Poe então encaminha os órfãos para viverem com o único parente distante existente na família. As crianças nem conheciam e sequer sabiam da existência dessa pessoa.: o conde Olaf, uma criatura bem excêntrica que vive em uma casa literalmente caindo aos pedaços. Era verdadeiro vilão como nas histórias de super-heróis, uma criatura maquiavélica e interesseira. Olaf ao invés de cuidar das crianças maltrata os meninos, os obriga a realizar as tarefas domésticas e o seu único objetivo é se apoderar da enorme fortuna dos Baudelaire. E ele não medirá esforços para conseguir o que almeja. Conta com o apoio de uma turma da pesada e submete as crianças a situações nunca imaginadas por elas e também por alguns leitores. Olaf será tão presente nas nossas vidas quanto nas vidas de Violet, Klaus e da pequenina Sunny. Iremos conviver com esse malfeitor de uma única sobrancelha e uma tatuagem de um olho em seu tornozelo esquerdo. Marca essa que estará presente nos piores pesadelos dos Baudelaire.

As crianças se cansam de serem maltratados e com os abusos do conde Olaf. Então procuram o Sr. Poe e contam ao que estavam sendo submetidos. Mas o Sr. Poe lhes dá a pior notícia: nada poderia ser feito, pois legalmente, Olaf tinha o mesmo poder que um pai tem sobre os filhos, o testamento do pai deles era o que determinava isso.

Como as crianças não tem direito a herança, ao menos que eles atinjam a maior idade ou ao menos que um deles seja emancipado ou através de um casamento, o conde tem uma idéia que ele pretende colocar em prática para poder enfim, colocar as suas mãos asquerosas na herança dos meninos. Olaf anuncia que fará uma peça, “O casamento maravilhoso”, o que deixa as crianças bem desconfiadas. Elas buscam então apoio e ajuda de uma vizinha simpática, a juíza Strauss. As crianças então descobrem o verdadeiro intuito do vilão. Quando jogam na cara dele o que ele pretende, Olaf não nega e ameaça os meninos: se eles não colaborarem irá jogar Sunny pela janela da torre da casa em que ela ela foi sequestrada e encontra-se está presa.

A peça na verdade é uma armação de Olaf. No roteiro consta que ele se casaria com Violet “de mentirinha”, mas na verdade ele planeja um casamento de verdade, para assim, tomar posse do dinheiro dos órfãos. Mas de boba Violet não tem nada. Ela na hora de assinar a certidão de casamento, assina com a mão esquerda, o que invalida o contrato, já que ela é destra, assim, ela estraga os planos do parente distante e interesseiro. Todos achavam que Olaf seria preso por ter mantido Sunny como prisioneira e finalmente, as crianças iriam viver felizes, em paz e em segurança. Mas no último instante, ele desliga as luzes do teatro e consegue fugir, não sem antes alardear para os pequenos Baudelaire que iria roubar a fortuna dos meninos e depois disso matá-los com as próprias mãos. A juíza Strauss tem tanto carinho pelas crianças que gostaria de adotá-las e cuidar para que elas cresçam em paz, mas o testamento dos pais dos meninos não permite isso, as crianças então são obrigadas a morar com um outro tutor.

Uma história triste, com raros momentos de alegria, porém muito interessante e criativa. “Desventuras em Série” é aquele tipo de livro em que não conseguimos fechar, que desejamos ler e ler até a última página como se fosse um longo e duradouro suspiro.

Para quem gosta de ver os filmes dos seus livros favoritos, vai uma dica: existe um filme feito baseado no livro, segue o trailer do filme “Desventuras em Série”.

 




Melissa Rocha

Jornalista apaixonada por cachorros e literatura, principalmente o gênero infanto-juvenil. Torcedora (e sofredora) do Palmeiras e Bahia. Fã de Drew Barrymore, Dakota Fanning, Anthony Kiedis e Red Hot Chili Peppers, All Star e Havaianas.

Blog Stats

  • 1,523,236 hits

No Twitter

RSS Ocasional

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
julho 2018
S T Q Q S S D
« abr    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Páginas

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 75 outros seguidores

Mais Avaliados

Anúncios