Archive Page 2

20
nov
10

“Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte I” sob uma perspectiva pottermaníaca

Ainda não vi o filme, apesar de amar Harry Potter e considerar a melhor história de fantasia no mundo da literatura; ao contrário de Larissa Oliveira (autora do texto que vou colocar na íntegra logo a seguir) não suporto ver estreias super badaladas no cinema. Confusão demais, fila demais, agonia demais, fãs demais… enfim, sobra um monte e falta um bocado de atrativo, pelo menos, para mim.

Eu realmente espero que o filme esteja ótimo, como descrito por Larissa, pois o sexto filme, para mim, foi uma verdadeira decepção. Afinal dentre os sete livros, “O Príncipe Mestiço” é o meu favorito, pois foca muito na história de Voldemort e, mesmo ele sendo um vilão, me sinto muito atraída por ele. Podem me chamar de sádica ou louca, mas sempre achei os vilões mais ricos e atraentes que os mocinhos. Suas histórias são muito mais interessantes e mais cheias de detalhes, prendendo muito mais a minha atenção e atiçando ainda mais a curiosidade. Não torço por Voldemort, nunca torci, mas que curto demais a sua história, o seu passado, o psicológico da personagem, ah isso lá eu curto muito sim.

Até quinta-feira eu acredito que a agonia esteja menor nos cinemas, afinal é final de semestre, as crianças e adolescentes estão em correria e época de provas e trabalhos nas escolas, então, acredito que poderei assistir ao filme com mais tranquilidade, sem gritarias, comentários e bate-bate de palmas quando cada personagem surgir na tela.

Apesar de não curtir e sentir vergonha alheia pelos meninos e meninas que vão ao cinema fantasiados de alunos de Hogwarts, respeito quem é fã a esse ponto. Porém não entendo, acho que por que não sou mais adolescentes e por que eu nunca fiz isso na vida…

Vamos ao texto da Luciana que é muito legal, principalmente para quem ama a série, os filmes, as personagens, o enredo, os atores, etc…

 

Texto da repórter Larissa Oliveira

Ir a pré-estreias dos filmes de Harry Potter tem toda uma razão ritualística, portanto, antes mesmo de tecer meus comentários sobre ‘Harry Potter e as Relíquias da Morte – parte I’, que estreia nesta sexta nos cinemas, aviso logo que sou pottermaníaca, assisto aos filmes na pré-estreia/estreia há exatos sete anos e só não vou fantasiada porque, digamos… passei da idade.

Tem gente que não entende e nem nunca vai entender, mas pré-estreias de HP são únicas. Tem aquele pessoal que encara este momento do ano como um feriado nacional e chega ao cinema 12 horas antes da sessão. Tem aqueles que vão vestidos com fantasias personalizadas e aqueles que fazem questão de ficarem mais parecidos o possível com os personagens da série. E ainda tem aqueles que não fazem nada disso, como eu, mas ainda assim acham tudo muito divertido.

 

E olha aí a turma do “cosplay” prontinha para mais um ano de aulas em Hogwarts!

Pode soar ridículo o quanto for, mas eu gosto da sensação de compartilhamento que só há em uma premiere de HP. Gosto da parte da gritaria ao aparecer de cada personagem, dos comentários em alto e bom som e, principalmente, dos aplausos às cenas bem feitas. (André Setaro não vai gostar desse post). E, chegando a parte que interessa, na primeira sessão do novo filme, os aplausos foram bem superiores aos resmungos indignados dos fãs.

Dessa vez, pessoal, o filme é bom. É, bom mesmo! É lógico que o longa tem lá seus problemas, mas corresponde à maioria das expectativas propostas pelo trailer.

Não vou enumerar os defeitos porque muita gente acompanha a história do bruxinho apenas pelos filmes, mas eu esperava mais emoção e profundidade em algumas passagens logo do começo do livro — pronto, quem leu já se situou —, e no filme, pra variar, foi tudo muito rápido.

Mas minhas críticas negativas vão até aí. A maioria das passagens do filme é bastante fiel ao livro e algumas são ainda melhores que na imaginação. E mesmo as que foram inventadas fazem algum sentido. Não tem nada comparado àquela bizarra cena do sexto filme em que a Toca, de maneira totalmente inexplicável, pega fogo.

Destaco ainda as cenas de ação, que são todas muito bem feitas, principalmente a que envolve a cobra de Lord Voldermort, Nagini — tive que me segurar na cadeira de medo, para se ter uma ideia. E as inteligentes alusões à Alemanha de Hitler, que, assim, como Lord Voldemort, tinha como objetivo extirpar da Terra os considerados “sangues-ruins”. Em resumo: dividir o livro em dois filmes foi a melhor atitude que os produtores poderiam ter tomado.

Com tamanha atenção aos detalhes e efeitos visuais de primeira, creio que esse novo filme tem grande potencial de conquistar o público mais adulto. Digo isso porque o tom sombrio e, por vezes, apavorante de algumas passagens não são lá muito recomendáveis para criancinhas. E também porque há um aprofundamento psicológico dos personagens, o que deixa a aventura em segundo plano e traz à baila o drama e o suspense.

Quem não leu pode, no entanto, reclamar da lentidão do roteiro, o que é um fato, mas insisto que o ritmo se justifica pelo cansaço em que Harry, Rony e Hermione se encontram na longa busca pelas horcruxes. Investir no medo, nas indecisões e nas frustrações de cada um deles — como na excelente cena em que Rony hesita em destruir uma horcruxe — foi uma escolha acertada. Quem leu os livros vai ficar satisfeito ainda com as sutis aproximações de Rony e Hermione, com a perspicácia do elfo doméstico Dolby e o humor dos Weasley.

Quem gosta da algazarra, como eu, aproveite e corra para o cinema ainda nesta sexta. Quem gosta da série, mas quer um pouco mais de sossego, espere mais alguns dias ou pegue sessões com horários mais avançados. E, por fim, quem estava na pré-estreia de quonta e já se prepara para dizer adeus ao ritual pottermaníaco no ano que vem: até a próxima pré-estreia!

 

Fonte: http://cineinblog.atarde.com.br/?p=3762

Anúncios
18
nov
10

Desafio Literário 2011

Tudo que é relacionado à literatura é muito bem vindo! Um desafio como este então, é um deleite para os fãs de um bom livro.

Vi o desafio no blog da querida Sandra – http://www.apenasumavez.wordpress.com e me empolguei. Como uma grande incentivadora à leitura e a tudo que seja relacionado a cultura, eu só poderia pedir autorização a ela para poder lançar no meu blog também.

Então vamos às explicações, afinal eu não sabia que este desafio já estava na sua segunda edição. Trecho retirado do blog de Sandra: “E então, eis que descubro o ótimo site Desafio Literário (www.desafioliterariobyrg.blogspot.com ) e conheço a proposta: em sua 2ª edição, o desafio é ler o mínimo de 12 livros ao longo do ano. Abracei a ideia e espero conseguir alcançar de fato esse número e ir além, mas considerando a correria do dia a dia, trabalho, estudos e tantas outras coisas, considero chegar a essa marca como um feito satisfatório. E mais que ler um livro por mês, é interessante que os temas e gêneros variem conforme o período, uma ótima oportunidade de conhecer obras e autores novos e diferentes. E para uma leitura incondicional e voraz, não será trabalho algum devorar alguns bons livros ao longo do ano”.

Espero sinceramente que eu volte a ter um ritmo de leitura como sempre tive, mas sofro do mal que atinge a todos nós: correria do dia-a-dia que consome meu tempo e a noite só quero descansar e dormir. Mas espero ter como meta mais de um livro por mês.

Lista – Desafio Literário 2011

Janeiro

– The Beatles – a biografia, de Bob Spitz

Fevereiro

– A Garota dos Pés de Vidro, de Ali Shaw

Março

–  Morte e Vida de Charlie St. Cloud, de Ben Sherwood

Abril

– As veias abertas da América Latina, de Eduardo Galeano

Maio

– O milagre, Nicholas Sparks

Junho

– Não Há Silêncio que Não Termine – Meus Anos de Cativeiro na Selva Colombiana, de Ingrid Betancourt

Julho

– Sábado, de Ian McEwan

Agosto

– Naquele dia, de Dennis Lehane

Setembro

– Edgar Sawtelle, de David Wroblewski

Outubro

– O morro dos ventos uivantes, de Emily Bronte

Novembro

– A menina que não sabia ler, de John Harding

Dezembro

– Viva o povo brasileiro, de João Ubaldo Ribeiro

E agora vamos esperar a virada do ano para começar a colocar em prática a leitura, de preferência dentro do prazo =)

18
nov
10

A Pirâmide Vermelha – Nova Série de Rick Riordan

 

Aeeee demorei tanto para postar, mas pelo menos chego com uma novidade que eu esperava tão ansiosamente.

Acabo de adquirir o meu exemplar da mais nova série de Rick Riordan. Famoso pela coleção “Percy Jackson e os Olimpianos”, o professor norte-americano de história, desta vez traz aventuras envolvendo a mitologia egípcia. No início deste ano li o primeiro capítulo do primeiro livro e achei muito interessante. Agora é só esperar para ver.

Sinopse

Os irmãos Carter e Sadie Kane vivem separados desde a morte da mãe. Sadie é  criada em Londres pelos avós, e Carter viaja o mundo com o pai, o Dr. Julius  Kane, um famoso egiptologista. Levados pelo pai ao British Museum, os irmãos descobrem que os deuses do Egito estão despertando. Para piorar, Set, o deus  mais cruel, tem vigiado os Kane. A fim de detê-lo, os irmãos embarcam em uma  perigosa jornada – uma busca que revelará a verdade sobre sua família e sua ligação com uma ordem secreta do tempo dos faraós.


27
out
10

‘Dom Quixote’ interativo

Alguns clássicos não são os favoritos dos mais jovens e dos que estão iniciando o cultivo ao hábito de leitura. No entanto, com a popularização dos e-books, talvez isso seja algo do passado. Principalmente pela capacidade dos leitores digitais, como a interatividade. Exemplo disso é a notícia que segue.

Fonte: http://migre.me/1NNSb

Dom Quixote está disponível a partir desta terça-feira (26) como livro eletrônico, após o trabalho de digitalização da Biblioteca Nacional da Espanha (BNE), que enfeitou a obra-prima espanhola com mapas e ilustrações da época.

A primeira edição da obra de Miguel de Cervantes (1547-1616), datada de 1605 e 1615 em Madri, está agora disponível na internet. O romance do “engenhoso fidalgo” pode ser lido a partir de agora como qualquer e-book, virando as páginas da tela, trocando o tipo de letra ou seu tamanho.

Ao trabalho de digitalização das 1.282 páginas da edição foram acrescentados diversos complementos para tirar mais proveito da obra, informou a BNE. Estão incluídos mapas interativos de rotas com os itinerários das viagens de Dom Quixote, uma cronologia de fatos relativos à obra, seu contexto – a vida no século XVII, os livros de cavalaria – e seu autor, referências a outros livros da BNE, ilustrações e gravuras da época e links para enviar trechos por e-mail ou Facebook. Além disso, é possível ouvir música e até “o som real das páginas” ao serem viradas.

À iniciativa sobre a obra-prima da literatura espanhola soma-se a apresentada no mês passado pela Real Academia Espanhola da Língua (RAE) e pelo Youtube, que permite que internautas do mundo todo exponham nesse site vídeos com a leitura do livro.

 

25
out
10

Strange Angels – Uma série que promete muitos sustos!

 

 

Já está disponível no Brasil, para compra em pré-venda, nas grandes livrarias online do país o primeiro e bastante comentado livro de terror, “Strange Angels”, uma série de Lili St. Crow. Para obter maiores informações, os leitores podem ir até o site oficial dos livros http://www.strangeangels.com.br/ Inclusive um game está sendo desenvolvido para os que já se tornaram fãs das aventuras de Dru.

Sinopse

 

Meu pai? Um zumbi.
Minha mãe? Morreu faz tempo.
Eu? Bem… Essa é a parte assustadora.

O Mundo Real é um lugar apavorante. Basta perguntar para Dru Anderson, uma órfã de 16 anos – garota durona que já acabou com sua parcela de bandidos. Ela está armada, é perigosa e está pronta para atirar primeiro e perguntar depois. Então, vai levar um tempo até que ela possa descobrir em quem confiar…

Dru Anderson se acha estranha por mais tempo do que é capaz de se lembrar. Ela viaja de cidade em cidade com seu pai, caçando coisas que nos aterrorizam à noite. Era uma vida bem esquisita, mas boa – até que tudo explode em uma cidade gélida e arruinada de Dakota, quando um zumbi faminto arromba a porta da cozinha.

Sozinha, aterrorizada e sem saída, Dru vai precisar de cada pedacinho de sua esperteza e treinamento para continuar viva. Seres sobrenaturais decidiram ser os caçadores – e desta vez, Dru é a presa. Chance de sobrevivência? De pouca a nenhuma. Se ela não durar até amanhecer, acabou a brincadeira…

 

Interessada eu fiquei, o problema é tempo e disposição. Mas em novembro penso em adquirir meu exemplar e dar uma conferida!

22
out
10

Finalmente os fãs de “O Hobbit” poderão acompanhar as aventuras de Bilbo Bolseiro na telona

Eu sou declaradamente uma não fã de Tolkien. É isso surpreende algumas pessoas que sabem da minha paixão por fantasia e pelos bons livros e autores. No entanto, “O Hobbit” é um livro mto especial. Gosto muito e já li algumas vezes. Após a mega produção de “O Senhor dos Anéis” e o sucesso dos filmes, falou-se e prometeu-se muito a adaptação também de “O Hobbit”. Demorou, mas vai sair. Estou na expectativa, apesar de ter que esperar muito ainda…

Fonte: G1 – http://migre.me/1Hth9

Peter Jackson anuncia elenco de ‘O hobbit’

Martin Freeman vai interpretar Bilbo, personagem principal da trama.
Longa será dividido em duas partes. Filmagens começam em fevereiro.

22/10/2010 11h24 – Atualizado em 22/10/2010 11h34

Do G1 RJ

O ator Martin Freeman, protagonista de ‘O hobbit’, em cena no filme ‘Wild target’ (Foto: Divulgação)

O cineasta neo-zelandês Peter Jackson e os executivos por trás do longa-metragem “O hobbit” anunciaram os nomes que formarão o elenco do filme. O ator Martin Freeman (“O Guia do mochileiro das galáxias”, “Invasão de domicílio”) foi o escolhido para interpretar Bilbo Bolseiro, personagem principal da trama.

Richard Armitage, que em breve poderá ser visto como o Capitão América no filme “The first avenger”,  vai viver o personagem Thorin Oakenshield.

“Freeman é exatamente como Bilbo e me sinto muito orgulhoso de poder anunciá-lo como nosso hobbit”, declarou o diretor em comunicado divulgado na quinta-feira (21). Sobre Armitage, Jackson disse: “é um dos atores mais emocionantes e dinâmicos que trabalham no cinema atualmente”.

Os atores Aidan Turner, Graham McTavish, John Callen, Stephen Hunter, Mark Hadlow y e Peter Hambleton, entre outros, também tiveram participação confirmada no longa.

Baseado no livro de J.R.R. Tolkien, “O hobbit” começará a ser filmado na Nova Zelândia em fevereiro de 2011 e será dividido em duas partes. As estreias estão programadas para dezembro de 2012 e dezembro de 2013.

16
out
10

A Biblioteca Digital Mundial!

Recebi por e-mail e compartilho com vocês! Muito interessante!!!

A BIBLIOTECA DIGITAL MUNDIAL.

QUE PRESENTE DA UNESCO PARA A HUMANIDADE INTEIRA !!!

Já está disponível na Internet, através do site  www.wdl.org

Reúne mapas, textos, fotos, gravações e filmes de todos os tempos e explica em sete idiomas as jóias e relíquias culturais de todas as bibliotecas do planeta. Tem, sobretudo, caráter patrimonial, antecipou em LA NACIÓN Abdelaziz Abid, coordenador do projeto impulsionado pela UNESCO e outras 32 instituições.

A BDM não oferecerá documentos correntes, a não ser “com valor de  patrimônio, que permitirão apreciar e conhecer melhor as culturas do mundo em idiomas diferentes: árabe, chinês, inglês, francês, russo, espanhol e português. Mas há documentos em linha em mais de 50 idiomas”.

Entre os documentos mais antigos há alguns códices precolombianos, graças à contribuição do México, e os primeiros mapas da América, desenhados por Diego Gutiérrez para o rei de Espanha em 1562″, explicou Abid.

Os tesouros incluem o Hyakumanto Darani, um documento em japonês publicado no ano 764 e considerado o primeiro texto impresso da história; um relato dos astecas que constitui a primeira menção do Menino Jesus no Novo Mundo; trabalhos de cientistas árabes desvelando o mistério da álgebra; ossos utilizados como oráculos e esteiras chinesas; a Bíblia de Gutenberg; antigas fotos latino-americanas da Biblioteca Nacional do Brasil e a célebre Bíblia do Diabo, do século XIII, da Biblioteca Nacional da Suécia.

Fácil de navegar:

Cada jóia da cultura universal aparece acompanhada de uma breve explicação do seu conteúdo e seu significado. Os documentos foram passados por scanners e incorporados no seu idioma original, mas as explicações aparecem em sete línguas, entre elas O PORTUGUÊS. A biblioteca começa com 1200 documentos, mas foi pensada para receber um número ilimitado de textos, gravuras, mapas, fotografias e ilustrações.

Como se acede ao sítio global?

Embora seja apresentado oficialmente  na sede da UNESCO, em Paris, a Biblioteca Digital Mundial já está disponível na Internet, através do sítio:

www.wdl.org

O acesso é gratuito e os usuários podem ingressar diretamente pela Web, sem necessidade de se registrarem.

Permite ao internauta orientar a sua busca por épocas, zonas geográficas, tipo de documento e instituição. O sistema propõe as explicações em sete idiomas (árabe, chinês, inglês, francês, russo, espanhol e português), embora os originas existam na sua língua original.

Desse modo, é possível, por exemplo, estudar em detalhe o Evangelho de São Mateus traduzido em aleutiano pelo missionário russo Ioann Veniamiov, em 1840. Com um simples clique, podem-se passar as páginas de um livro, aproximar ou afastar os textos e movê-los em todos os sentidos. A excelente definição das imagens permite uma leitura cômoda e minuciosa.  Entre as jóias que contem no momento a BDM está a Declaração de Independência dos Estados Unidos, assim como as Constituições de numerosos países; um texto japonês do século XVI considerado a primeira impressão da história; o jornal de um estudioso veneziano que acompanhou Fernão de Magalhães na sua viagem ao redor do mundo; o original das “Fábulas” de La Fontaine, o primeiro livro publicado nas Filipinas em espanhol e tagalog, a Bíblia de Gutemberg, e umas pinturas rupestres africanas que datam de 8.000 A .C.

Duas regiões do mundo estão particularmente bem representadas: América Latina e Médio Oriente. Isso deve-se à ativa participação da Biblioteca Nacional  do Brasil, à Biblioteca de Alexandria no Egito e à Universidade Rei Abdulá da Arábia Saudita.

A estrutura da BDM foi decalcada do projecto de digitalização da Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos, que começou em 1991 e atualmente contém 11 milhões de documentos em linha.

Os seus responsáveis afirmam que a BDM está, sobretudo, destinada a investigadores, professores e alunos. Mas a importância que reveste esse sítio vai muito além da incitação ao estudo das novas gerações que vivem num mundo audiovisual.




Melissa Rocha

Jornalista apaixonada por cachorros e literatura, principalmente o gênero infanto-juvenil. Torcedora (e sofredora) do Palmeiras e Bahia. Fã de Drew Barrymore, Dakota Fanning, Anthony Kiedis e Red Hot Chili Peppers, All Star e Havaianas.

Blog Stats

  • 1,476,247 hits

No Twitter

RSS Ocasional

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
setembro 2017
S T Q Q S S D
« abr    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Páginas

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 77 outros seguidores

Mais Avaliados