27
jul
10

Cresce o número de livrarias em todo país e a Bahia é o destaque no nordeste

Ai que coisa boa os dados que uma matéria do repórter Walace Lara, do jornal Bom Dia Brasil,  da Rede Globo traz de manhã cedinho!

Cresce o número de livrarias (11% maior do que  em 2006) em todo país e as crianças estão lendo mais. Nem parece que estamos falando do Brasil, mas estamos e isso é maravilhoso. Crianças lendo mais é indício de um país mais cultural e com tendências à evolução e melhorias  sempre.

Títulos infantis e juvenis estão entre os mais vendidos. Que lindo! Mas convenhamos, como a literatura infanto-juvenil vem evoluindo e agregando valores, buscando educar sem ser chata, como nos seus primórdios.

Destaque para São Paulo que é o estado com maior número de livrarias do  país e também parabéns para a Bahia, oh meu Deus nem acredito! A maior do nordeste em número de livrarias e com ambientes mais modernizados que acaba sendo um atrativo a mais para os leitores.

Viva para livrarias que se tornam as ferramentas para engrandecer os nossos sonhos, nos transportar para lugares mágicos e nos apresentar personagens inesquecíveis.

———————————————————————————————–

Para quem não assistiu ao jornal, forneço a matéria na íntegra e vale a pena ir até ao site para assistir ao vídeo.

Edição do dia 27/07/2010

27/07/2010 08h09 – Atualizado em 27/07/2010 08h09

Aumenta o número de livrarias no Brasil, revela pesquisa da ANL

Levantamento mostra que no país existem 11% lojas a mais do que em 2006. O estado de SP tem mais que o dobro do segundo colocado, o RJ.

Um dia na vida de Ulisses. Um dia na morte de Quincas. Quem gosta de ler sabe: é possível ir da Irlanda de James Joyce até a Bahia de Jorge Amado só correndo a prateleira.

É um mundo imenso, cada vez mais lido e vivido pelos brasileiros. O aumento no número de livrarias confirma essa boa notícia que apareceu em uma pesquisa, que será divulgada nesta terça-feira (27) pela Associação Nacional de Livrarias. Essa pesquisa também traz algumas surpresas, como o estado brasileiro com mais livrarias por habitante. Veja na reportagem de Walace Lara.

A leitura é de alguém que começa a descobrir o prazer das palavras. Estamos lendo mais. Esta é uma das principais conclusões de uma pesquisa inédita da Associação Nacional de Livrarias (ANL). O levantamento mostra que no país existem 2.980 lojas – 11% a mais do que havia em 2006. Os dirigentes do setor comemoram, mas dizem que dá para melhorar.

“O nosso índice ainda é muito baixo. Ainda é 1,9 livros ano lido por habitante ano. Isso é muito pouco e muito aquém de países latino-americanos. Na Argentina, se lê em torno de cinco. No Chile, três. Na Colômbia, se lê 2,5 livros por anos”, declara Vitor Tavares, presidente da ANL.

Um dos motivos para o índice não ser mais alto é a falta de livrarias em pequenas e médias cidades. Hoje, a maior parte está concentrada nos grandes centros. A região Sudeste é a que tem o maior número de lojas. O estado de São Paulo tem mais que o dobro do segundo colocado, o Rio de Janeiro.

Destaque para a Bahia com o maior número de livrarias no Nordeste. É o sexto colocado no país, empatado com Santa Catarina. Curiosa é a situação de Roraima que tem apenas 25 livrarias. Parece pouco, mas, proporcionalmente, o estado do Norte tem a melhor média nacional.

Parte do sucesso nacional pode ser atribuída à venda de produtos diferenciados, como CDs e DVDs. Além disso, os ambientes foram modernizados. “Você tem várias outras opções dentro de uma livraria, desde um bom café, um espaço para leitura, para troca de ideias, reunião com amigos. Então, isso é uma renovação muito boa”, comenta a empresária Iêda Freitas Santos.

A pesquisa também traz outra boa notícia. Um ambiente voltado para o público especial é cada vez mais comum nas livrarias. Não é à toa. Os títulos infantis e juvenis são os mais vendidos. Crianças e adolescentes são os principais clientes das grandes e pequenas livrarias.

“O infantil é 100% leitor. Não tem uma única criança que os olhos não brilham quando você coloca um livro perto dela”, afirma Samuel Seibel, dono da livraria.

É a mesma sensação observada por quem possui apenas uma única livraria e que, segundo a pesquisa, forma o maior grupo do mercado. É o caso de Ângela e Denize. O fascínio em desenvolver a leitura era tanto, que elas abriram uma livraria, dedicada apenas ao público infanto-juvenil.

“A gente acredita realmente que o livro é capaz de transformar as pessoas, transformar o mundo, formar uma consciência crítica, formar cidadãos, pessoas melhores”, aposta Maria Ângela Prado de Melo Aranha, dona de livraria.

“Eu estou tão acostumada a ler. Desde pequenininha, eu já aprendi. Então, eu adoro, eu acho que você viaja muito nos livros”, comenta Victória Naomi Zynger, de 11 anos.

A maioria das livrarias (56%) não faz vendas pela internet. Ou seja, são aquelas lojas bem tradicionais, em que o dono conhece praticamente todos os clientes, que vão até lá para comprar um livro e principalmente para bater um papo.

Fonte: http://migre.me/10esX

Anúncios

6 Responses to “Cresce o número de livrarias em todo país e a Bahia é o destaque no nordeste”


  1. 1 Sandra Oliveira
    julho 27, 2010 às 10:58 am

    hehehe…que bom pra vcs aí Mel…quanto mais livrarias maior é o incentivo, senão de comprar, pelo menos adentrar num ambiente em que se respira leitura. Digo isso porque as vezes penso também que é muito complicado trazer para junto de nós mais leitores quando o preço dos livros não é sempre convidativo. Acredito que isso esteja de alguma forma mudando, pois hoje em dia vemos muitas ótimas promoções, principalmente on line, onde é possível adquirir livros em maior quantidade. Não sei nem se essa é uma questão pertinente até à matéria que vc comenta agora, mas estou desabafando, rs…pq acho as vezes algo fora de série o preço de certos livros. Nós conseguimos comprar, mas e os que não podem? é bem complicado.

    Mas fico feliz em saber que as livrarias estão se expandindo, sobretudo em regiões onde há precariedade total desse tipo de ambiente. Aqui em São Paulo, com todas as Livrarias Culturas e Saraivas Mega Store entre outras, realmente não tenho do que reclamar!

    beijos e parabéns pelo ótimo post! 😉

    • julho 27, 2010 às 11:32 am

      Você está certíssima! Até mesmo para nós que podemos adquirir livros com certa frequência, em algumas vezes reclamamos muito dos valores cobrados por eles.
      A depender do livro, eu não compro se custar R$ 80 ou R$ 90.
      Imagine o trabalhador que recebe um salário mínimo e precisa custear tantos outros itens de necessidadades imediatas.
      Fiquei feliz pela colocação da Bahia, porque este é um estado carente de tudo. E até mesmo os mais privilegiados, que poderiam comprar livros, investir em si próprios e na cultura, preferem gastar R$ 100 ou R$ 200 em show de axé. Juntam dinheiro o ano todo para comprar três dias de carnaval com Ivete Sangalo ou Chiclete com Banana.
      É verdade que cada um faz com o seu dinheiro o que quer e gasta naquilo que te faz feliz, mas balançar a bundinha, sacudir os bracinhos, pular até as pernas doerem vai acrescentar conhecimento em que? Sou radical, infelizmente (e felizmente ao mesmo tempo) nasci em Salvador, onde tudo termina em festa e nada é levado muito a sério. Por outro lado me sinto privilegiada por ter sempre por perto baianos solícitos, simpáticos e que estão sempre dispostos a ajudar ao próximo, porque por mais problemático que seja o estado, as pessoas são muito bacanas. Não pareço daqui porque não consigo me inserir em partes da realidade e cultura do estado. Não gosto de axé, não gosto de carnaval, não gosto de muvuca e confusão. Nem de praia eu gosto! Às vezes me acho anormal hehehe
      Você elogiou o post e eu elogio o seu comentário. Coerente, acertivo, reflexivo e muito maduro. Por isso sua presença no blog é sempre bem-vinda e essencial =)
      Beijo

  2. julho 27, 2010 às 2:12 pm

    Rapaz, um de meus sonhos é ter uma livraria. Daquelas que as pessoas entrem e passem o dia inteiro lendo e conversando sobre os livros, a vida e tudo o mais. Quem sabe um dia eu não realizo este sonho…

  3. 5 Sandra Oliveira
    julho 27, 2010 às 7:09 pm

    desabafou também né!? hehehe…vc combina perfeitamente com São Paulo, se resolver se mudar um dia, é só me avisar! vamos abalar as estruturas culturais da cidade…rs

    obrigada querida! a gente usa os blogs pra expor ideias, na esperança que um dia as coisas mudem pra melhor!

    beijos ^^

    • julho 28, 2010 às 4:47 pm

      hahahah sim, claro. também desabafei hehehe
      Ah muito obrigada pela sugestão. Ainda não está nos meus planos me mudar, porém se isso acontecer, lógico que adorarei conhecer todo e qualquer ponto cultural desta que é a grande capital do país, ainda mais na sua companhia =)
      =*


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Melissa Rocha

Jornalista apaixonada por cachorros e literatura, principalmente o gênero infanto-juvenil. Torcedora (e sofredora) do Palmeiras e Bahia. Fã de Drew Barrymore, Dakota Fanning, Anthony Kiedis e Red Hot Chili Peppers, All Star e Havaianas.

Blog Stats

  • 1,486,617 hits

No Twitter

RSS Ocasional

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
julho 2010
S T Q Q S S D
« jun   ago »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Páginas

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 76 outros seguidores

Mais Avaliados


%d blogueiros gostam disto: