27
maio
10

House of Night – Indomada

Zoey Redbird e seus melhores amigos da Morada da Noite estão passando por um período difícil, um problema de relacionamento na amizade deles. Pois no livro anterior, Zoey teve que manter segredos deles e teve como aliada a pessoa mais improvável do mundo: Aphrodite (cá para nós a personagem que mais gosto). Enquanto Zoey atravessava um período difícil, não pode de fato estar com os amigos da forma mais honesta que ela gostaria. Primeiro ela perdera a sua melhor amiga e descobrira que ela, de fato, não morrera e sim transformara-se em um monstro sugador de sangue e revivera por causa da nefasta Grande Sacerdotisa que estava traindo a todos. Além disso, Zoey estava traindo o namorado vamp Erik com o humano Heath e o professor poeta laureado Loren. Toda essa confusão não podia ser compartilhada com nenhum dos amigos, a não ser com Aphrodite por uma única razão: as duas únicas mentes que Neferet não conseguia invadir era a delas duas, se ela contasse algo aos amigos, a Sacerdotisa descobriria. Todo o tempo o objetivo de Neferet era deixar Zoey sozinha, sem amigos para que conseguisse botar em prática uma idéia terrível que arriscaria a vida de humanos e vampiros.

No entanto, Zoey consegue não apenas o perdão dos amigos, como também fazer com que sua melhor amiga, Stevie Rae e os vampiros vermelhos recuperassem a sua humanidade, deixando de ser os monstros sugadores de sangue que só se importavam com sangue e nada mais. No entanto, fazer esse bem por Stevie Rae, causara um mal terrível a Aphrodite que deixara de ser vampira para voltar a ser humana. Com isso a garota surta e vai procurar refúgio no lugar onde seria o último que qualquer pessoa a procuraria. Mas nada estava terminado para Aphrodite, ela ainda retornaria e daria o ar de sua graça e humor sarcástico muitas e muitas vezes (amém, se ela saísse da história, para mim, a série perderia a graça).

Se não bastasse todos esses problemas, Zoey ainda tinha que lidar com o mal que estava ameaçando pairar não apenas na Morada da Noite, mas em toda Tulsa. Segundo a mitologia Cherokee, do povo da avó de Zoey, um anjo caído, Kalona, escravizara os homens e estuprara as mulheres, fazendo com que elas gerassem seus filhos que eram uma mistura sinistra e malévola de aves e humanos, os Raven Mockers. Cinco importantes mulheres Cherokee criaram uma mulher do barro e da terra que aprisionara Kalona.

Mas Neferet com seu plano maquiavélico trouxera de volta à vida, Kalona, as custas de Stark, um vampiro recém chegado à Morada da Noite, que recebera um dom muito especial de Nyx, e de Stevie Rae, que quase perdera a vida para que a Grande Sacerdotisa conquistasse o que queria.

Com a aparição de Kalona e os Raven Mockers, só restava a Zoey e sua turma fugir para o único lugar seguro no mundo: embaixo da terra. Com Stevie Rae a beira da morte, o mal encarnado solto, Erik transformado em vamp adulto, rompida a carimbagem com Heath, Loren morto, Neferet abandonado a deusa e com sua avó em coma em um hospital, Zoey só podia torcer para que as coisas melhorassem e tivesse muita sorte para reverter essa situação.

O quarto volume da série House of Night, escrita por uma mãe e sua filha, P. C. Cast e Kristin Cast, respectivamente, “Indomada” é tão bom quanto os demais, mas senti falta só de uma coisa: esperava que a autoria dos assassinatos ocorridos fosse descoberta. Eu imagino que na verdade quem tenha matado tanto Loren quanto a outra professora, Nolan, se não me engano, tenha sido de fato Neferet e não um grupo de católicos fanáticos. Com o lançamento do quinto livro, “Caçada” tinha fé que a autoria surgisse, mas mais uma vez nada de falarem nisso… Fico meio frustrada, porque isso foi um fato que mexeu com os nervos dos estudantes e dos professores, envolveu um conflito entre vampiros e humanos, mas simplesmente as autoras preferiram fingir que não aconteceu do que esclarecer para os leitores. Eu simplesmente adoro a série. É um tipo de coleção de livros sobre vampiros que mescla a história com bruxaria e magia, com mitologia indígena e tudo, mas pecou neste detalhe. Uma trama bem amarrada deve esclarecer tudo para os leitores, não fazê-los questionar buracos na história. Ainda tenho fé de que até o término da série as autoras revelem quem cometeu os assassinatos, confirmem se foram os religiosos ou se foi Neferet depois que surtou por causa de todo o seu poder e o seu medo dos poderes de Zoey.

Anúncios

2 Responses to “House of Night – Indomada”


  1. 1 Patrícia Cardoso
    junho 1, 2010 às 6:33 pm

    Eu jah li
    adooooooooooooooooro

  2. 2 viick
    julho 22, 2010 às 11:56 am

    até minha avó já leu –‘


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Melissa Rocha

Jornalista apaixonada por cachorros e literatura, principalmente o gênero infanto-juvenil. Torcedora (e sofredora) do Palmeiras e Bahia. Fã de Drew Barrymore, Dakota Fanning, Anthony Kiedis e Red Hot Chili Peppers, All Star e Havaianas.

Blog Stats

  • 1,461,951 hits

No Twitter

RSS Ocasional

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
maio 2010
S T Q Q S S D
« abr   jun »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Páginas

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 76 outros seguidores

Mais Avaliados


%d blogueiros gostam disto: