09
dez
09

Desventuras em Série – Serraria Baixo-Astral

“Serraria Baixo-Astral” é o quarto volume da série “Desventuras em Série”. Após terem escapado três vezes das armações e perseguições do Conde Olaf, as crianças Baudelaire, um pouco traumatizadas e tristes diante de tantas perdas e violência, desta vez são levados pelo banqueiro Sr. Poe até a cidade de Paltryville, pois precisariam viver com um novo tutor. Desta vez eles ficariam sob a responsabilidade de um parente que é dono de uma serraria chamada “Baixo-Astral”.

Logo quando chegam à cidade os meninos notam algo que lhes chama atenção e é um tanto esquisito. Havia em Paltryville um prédio em forma de olho. A tão temida tatuagem de Olaf, a sua marca registrada. Os meninos são deixados pelo Sr. Poe a caminho do seu novo lar e são conduzidos à serraria, as crianças conhecem Phill, um empregado da empresa de seu tio.

Os meninos tiveram que se acomodar em um dormitório muito abafado e com um cheiro forte de mofo, pois não havia janelas para ventilar o local. Para completar o terror do primeiro dia em um local novo, estranho e pouco aconchegante, na manhã seguinte eles acordam atordoados com um barulho alto de duas panelas se chocando. Era Flaucutono, o rude capataz da serraria que escondia o seu rosto usando uma máscara cirúrgica. Ele acordara as crianças desta maneira nada usual e os conduzira para o interior da serraria para que começassem a trabalhar.

Antes de tomar café, eles tiveram que dar início aos trabalhos. Começaram raspando troncos de árvores, mas após muitas delas terem sido descascadas, eles já estavam famintos, com o estômago roncando de fome. Flaucutono anunciou que eles poderiam suspender as atividades por cinco minutos para tomarem o café da manhã. Mas para a desilusão das crianças, o que receberam para o café da manhã foi um chiclete.

Após o café da manhã, os irmãos receberam o comunicado de que deveriam ir até ao escritório da serraria. Lá foram recebidos por Charles, um dos sócios. Ele é retratado como um rapaz gentil e educado que recebe bem as crianças. Mas como nem tudo é perfeito, eles conheceram em seguida, “Senhor, o sócio majoritário da serraria e o tutor das crianças. “Senhor” é tudo o que Charles não era. Um homem baixo que fumava sempre um charuto que produzia uma fumaça tão densa, sendo impossível identificar o seu rosto.

Ao saírem do escritório, Charles mostrou as crianças a biblioteca da serraria, o que todos nós pensamos que seria um consolo para Klaus, mas para decepção do garoto, apesar de ser uma sala ampla e bem arrumada, o local só continha apenas três livros: “A História da Serraria Alto-Astral”, doado pelo “Senhor”; “A Constituição de Paltryville”, doado pelo prefeito; e “Ciência Ocular Avançada”, doado pela oftalmologista da cidade, a Dra. Georgina Orwell.

Os órfão continuam trabalhando dia após dia na serraria. Dentre os trabalhos exercidos estavam raspar troncos e carregá-los depois de raspados. Mesmo com os dias tão cheios pelo trabalho pesado, os meninos não conseguiam relaxar e ficavam imaginando qual seria o próximo passo dado pelo Conde Olaf para tentar roubar-lhes a fortuna deixada por seus pais.

Um dia o carrasco aplicou uma rasteira em Klaus, que ao cair perdeu os óculos e quando o encontrou estava quebrado. Foi conduzido até o oftalmologista. Estranhamente o garoto passara todo o dia no consultório e só retornara a noite, após o jantar. As irmãs Baudelaire desconfiam que o irmão sofrera algo tipo de hipnose, afinal ao retornar da longa consulta, o garoto estava muito diferente, respondendo monossilabicamente as perguntas que as suas irmãs faziam e até mesmo no dia seguinte ele estava com um comportamento ainda bem estranho e mantendo distância delas.

Após o incidente com na clínica de oftalmologia, se já não bastasse o trabalho árduo, as crianças ainda tinham que aguentar o carrasco Flaucutono, que era bastante truculento. As crianças passariam a realizar outras atividades, além da raspagem de troncos de árvores. O capataz dá instruções a Klaus de operar uma máquina pesada e o garoto teria que assumir essa responsabilidade, o que acaba por provocar uma série de incidentes e um acidente.

Sem saber direito como operar a máquina, o garoto acaba destruindo-a e, por consequência, quebra a perna de Phill. Ao notar o estrago, Flaucutono diz uma palavra estranha e ninguém entende, exceto Klaus que inexplicavelmente volta ao normal e diz o significado da palavra. Apesar de ter voltado ao normal, o garoto não se lembra do que houve e o capataz aproveita para dar uma nova rasteira em Klaus que ao cair teve novamente os óculos quebrados. Mas, desta vez Violet e Sunny não deixariam o irmão ir sozinho ao oftalmologista. O acompanhariam para certificaram-se de que estava tudo bem e o irmão não retornaria estranho novamente.

As crianças notam que o consultório do oftalmologista ficava no prédio em formato de olho que chamara atenção deles no primeiro dia quando chegaram à cidade. Quando batem na porta do consultório são recebidos pela Dra. Orwell, mostrando-se muito simpática com eles. Mas as meninas notam que ela estava segurando um bastão e ela diz para as garotas esperarem do lado de fora, na sala de espera, enquanto ela atendia Klaus. Quando chegaram na sala de espera, as irmãs se surpreenderam ao notar que a recepcionista Shirley era adivinhe quem? Olaf fantasiado e imitando de forma ridícula uma voz feminina.

Enquanto isso, Klaus fora conduzido para o interior do consultório pela Dra. Orwell e mais uma vez retornara diferente. O que imediatamente as irmãs concluíram que realmente o irmão estava sendo hipnotizado pela oftalmologista que, com toda certeza, estava sendo parceira do odioso Olaf. Sem poder fazer nada, eles retornam para o dormitório.

Na manhã seguinte os meninos recebem um bilhete de “Senhor”, informando que ele não admitiria mais nenhum tipo de acidente na serraria, como o que ocorrera no dia anterior, e que caso isso se repetisse, a custódia das crianças passaria a ser da recepcionista Shirley e não mais dele.

Como Klaus estava agindo de uma forma apoplética, as irmãs teriam que fazer alguma coisa para evitar que novos acidentes acontecessem, que eles não tivessem que ter Olaf como tutor de novo e precisavam, ainda, dar um jeito de fazer com que o irmão voltasse ao normal. Violet e Sunny se dirigem à biblioteca para ver se encontravam algo que as ajudasse a retirar a criança do transe hipnótico. Pegaram o livro que acreditavam poder ajudá-las, “Ciência Ocular Avançada”, mas encontraram muitas dificuldades para entender o conteúdo do livro. Lembram da reação que Klaus tivera ao ouvir aquela palavra estranha dita pelo capataz e acreditaram que a solução para o problema estava em dizer novamente aquela palavra. Então Violet acaba aprendendo nos livros que estava ao seu alcance na mísera biblioteca, técnicas e comandos que hipnotizava e fazia as pessoas voltarem ao normal.

Porém em meio as suas descobertas, as meninas ouvem um barulho das máquinas da serraria sendo ligadas. Como acharam muito estranho foram conferir o que estava havendo e, para grande surpresa,  viram Charles amarrado a um tronco de madeira que estava indo em direção a uma enorme serra. E o pior, quem estava ligando o equipamento e empurrando o tronco era Klaus, sob ordens de Flaucutono.

Violet, com a cabeça girando a mil, repensou todas as palavras que o carrasco utilizara, mas nada acontecia. Quando disse a palavra “sortudo”, Klaus imediatamente passou a não mais obedecer o que Flaucutono dizia e passou a seguir às ordens da irmã. Eis que surge a Dra. Orwell e Shirley que passam a comandar a hipnose do garoto, determinando que ele não mais obedecesse às ordens da garota e sim as deles. No meio dessa confusão, Charles continuava rumando lentamente para a enorme serra elétrica. Violet, de súbito, se lembrou que quando Flaucutono dissera a palavra “exorbitante”, o garoto saíra do transe. Então o fez novamente e o irmão despertara.

Quando Klaus despertou, o caos já predominava na serraria. Sunny começou a duelar com a Dra. Orwell que no lugar da sua bengala, ela tinha na verdade uma espada. Enquanto a vilã possuía a espada, Sunny se defendia com os seus poderosos dentes fortes e afiados. Violet não tem muito como ajudar pois fora rendida por Olaf (como Shirley) e Flaucutono. Sobrando, mais uma vez, para Klaus ter que pensar em uma solução e um plano rapidamente para libertar a todos eles e conseguir ainda salvar a vida de Charles. Desta vez, o garoto teria que ser um gênio das invenções como a irmã mais velha, para que Charles conseguisse sair dessa com vida.

Klaus pegou alguns chicletes, colocou na boca e começou a mascar até que eles viraram uma massa gosmenta. O garoto então pega os chiletes transformados em uma gosma e prende na ferramente utilizada para raspar os troncos e, assim, consegue salvar Charles. E quem acabou sendo vítima da serra elétrica fora Dra. Orwell, que enquanto lutava com Sunny acabou caindo acidentalmente onde ficava a serra.

Quando a confusão estava no seu auge, “Senhor” aparece na serraria e, tentando escapar, tanto o capataz quanto Shirley alegaram que eles também estavam hipnotizados. Como “Senhor” havia dito as crianças anteriormente que não queria mais confusões no local, e lá estava um caos, ele decide passar a guarda dos Baudelaire para Shirley, como fora dito.

O Sr. Poe fora convocado até Paltryville para que fosse oficializada a troca de tutores, mas as crianças argumentaram que Shirley era na verdade o Conde Olaf. O Sr. Poe mais uma vez acha que a solução para o problema era ver o tornozelo de Shirley para comprovar se havia ou não uma tatuagem em formato de olho. Shirley, sem escapatória mostra e a verdadeira identidade de Olaf é revelada. Bem como a verdadeira identidade de Flaucutono também fora descoberta. O capataz era na verdade o comparsa careca e narigudo dele, por isso ele usava uma máscara cirúrgica, para que seu nariz grande não fosse revelado imediatamente para as crianças. E após isso, eles escapam e fogem.

“Senhor” como tutor das crianças, determina que eles deveriam ir para um colégio interno e assim encerra-se a quarta aventura dos órfãos Baudelaire.

Anúncios

0 Responses to “Desventuras em Série – Serraria Baixo-Astral”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Melissa Rocha

Jornalista apaixonada por cachorros e literatura, principalmente o gênero infanto-juvenil. Torcedora (e sofredora) do Palmeiras e Bahia. Fã de Drew Barrymore, Dakota Fanning, Anthony Kiedis e Red Hot Chili Peppers, All Star e Havaianas.

Blog Stats

  • 1,470,669 hits

No Twitter

RSS Ocasional

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
dezembro 2009
S T Q Q S S D
« nov   jan »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Páginas

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 76 outros seguidores

Mais Avaliados


%d blogueiros gostam disto: