26
out
09

Peter Pan

foto peter pan

Meu primeiro contato com “Peter Pan”, como a maioria das crianças, foi através do filme. Digo, com toda  certeza, que teria gostado mais se tivesse lido o livro primeiro, apesar de ter adorado o enredo do filme. Mas já adulta eu li “Peter Pan” e constatei que realmente enxergamos as histórias de formas diferentes quando a lemos pela primeira, segunda ou terceira vez e quando as lemos em processos de amadurecimento diversos.

Peter Pan inspirou não apenas peças de teatro e filmes para o cinema e para a televisão. Ele virou um mito e até mesmo, porque não, uma síndrome. A Síndrome de Peter Pan refere-se aquelas pessoas que se recusam a crescer, amadurecer e deixar a infância para trás, o que suscita uma série de discussões, logicamente, haja vista que a própria Wendy representa o extremo oposto, cobrada desde pequena ela deseja muito crescer e se tornar adulta. O que, de certa forma, seja qual for a escolha, implica em  perdas. O Rei do Pop, Michael Jackson, demonstrou claramente nas suas atitudes e no dia-a-dia como talvez fosse atingido pela Síndrome de Peter Pan, o que prova a compra de um rancho em que ele denominou de Neverland (Terra do Nunca), o local onde vivia o menino perdido que era chefe de seu próprio grupo, na história de James Barrie. Mas, neste momento, não faço deste espaço palco para polêmicas.

O que está em destaque é que “Peter Pan”, lançado em 1904, pelo escritor escocês, James Barrie, é um sucesso, resiste ao tempo e continua vivo no imaginário de crianças, jovens e adultos de diferentes gerações. É um livro que tenho dificuldade em descrever de que tipo de história ele se refere, pois depende de com quantos anos a pessoa o lê. Para uma criança eu definiria que é uma história carregada de aventuras e desafios. Para um jovem-adulto, creio que se trate de uma história de abandono, amizade, tristeza, mas também de coragem, que pode ser lida de forma mais superficial como um conto infantil, mas também como um drama psicológico de dimensões problemáticas. “Peter Pan” é também um texto que muito narra, mas pouco responde, perguntas do tipo: Quem é realmente Peter Pan? Porque ele e as demais crianças, na Terra do Nunca, se esquece das coisas? Quem é e qual a história do Capitão Gancho antes do ataque de um crocodilo?

Peter Pan é um personagem criado por escritor J. M. Barrie para uma peça de teatro intitulada “Peter and Wendy”, que posteriormente deu origem ao livro “Peter Pan” destinado a crianças, mas originou também muitas adaptações. O personagem título é um pequenino rapaz que foi abandonado quando ainda bebê e se recusa a crescer, passando a ter uma vida cheia de aventuras mágicas.

O nome “Peter Pan” é uma mistura. O Peter foi uma homenagem a Peter Llewelyn Davies, o filho mais novo de sua amiga Sylvia Llewelyn Davies. O “Pan” foi tirado da mitologia grega, Pan é um deus malévolo das florestas.

A família Darling tinha uma babá muito especial, uma cadela da raça São Bernardo, chamada Naná. Ela exerce de forma exemplar e singular as suas funções e obrigações. Peter observava os crianças da família Darling, o que despertava os latidos e protestos de babá Naná. Irritado, o Sr. Darling coloca a cadela para dormir fora de casa, proporcionando assim que Peter possa entrar pela janela no quarto dos meninos, mas foi surpreendido pela Sra. Darling e foge desesperado, deixando para trás a sua sombra.

Um tempo depois, Peter retorna, procura por sua sombra e quando a encontra tenta recolocá-la, mas sem conseguir acaba chorando. Wendy ao ouvir o choro, acorda e ajuda-o costurando a sua sombra. Quando conversa com ele, descobre um pouco da sua história, o seu nome, de onde ele é, com quem ele vive e quem são os meninos perdidos. Ele confessa que já a ouviu contar histórias e pede que ela se mude, juntamente com seus irmãos, para a Terra do Nunca, para que ela possa contar histórias para todos os meninos perdidos.

Naná sabendo do que estava acontecendo, dá o alerta e os pais das crianças quando vão ao quarto dos filhos descobrem que a janela estava aberta e quando olham para fora, veem quatro pontinhos distantes voando ao longe.

Ao chegar na Terra no Nunca as aventuras das crianças começam. Os Darling conhecem os outros meninos perdidos, a ciumenta fada Sininho e também o perigoso Capitão Gancho. A Terra no Nunca abriga além dos meninos perdidos, do Capitão Gancho e seus aliados, índios, fadas, sereias e o maior pesadelo do pirata Gancho, o temido crocodilo que faz engoliu um relógio e faz tic tac a cada vez que se aproxima e devorou a mão do Capitão.

A chegada das crianças alegra muito aos outros meninos perdidos, mas desagrada e muito a fada Sininho que se vê muito incomodada pela presença de Wendy, que tomava conta dos meninos como uma mãe substituta. Cega pelo ciúmes e com raiva da menina dá um jeito de envenená-la, mas ela não morre e Peter fica muito chateado e pede que ela desapareça.

Enquanto isso, o Capitão Gancho promove perseguições aos meninos e uma batalha acontece e Wendy e os meninos são aprisionados pelos piratas. Gancho tenta envenenar Peter, mas Sininho vendo o que acontece, prova a verdadeira amizade que tem pelo menino perdido e toma o veneno no lugar de Peter. Sininho fica muito mal e para que ela não morra, Peter pede a todos que batam palmas por acreditarem em fadas, sendo então, salva.

Peter ao saber que os meninos e Wendy foram sequestrados, vai ao encontro do Capitão Gancho e antes de chegar ao navio, faz o barulho do tic tac feito pelo crocodilo e o Capitão então se esconde com a sua tripulação, acontecendo em seguida uma nova batalha. Peter e Gancho digladiam-se e após explodir o navio, o capitão se joga ao mar, sem saber que lá esperando por ele, estava o crocodilo.

Wendy revela que quer voltar para casa, apesar de seus irmãos se esquecerem quem são, de onde vieram e quem é a sua família. Peter, contrariado, decide levar todos de volta. Quando os Darling chegam em casa são recebidos com muito amor e carinho pelos pais e pela babá Naná. Wendy pede aos pais que adotem os meninos perdidos, os pais concordam, todos aceitam e ficam muito felizes. Exceto Peter, que quando descobre que irá crescer, frequentar a escola, trabalhar e não mais apenas brincar, despede-se de todos e volta para a Terra do Nunca, retornando na primavera seguinte, mas completamente esquecido de todas as aventuras que viveu ao lado dos meninos.

Wendy cresce, casa-se e tem uma filha, Jane que, assim como a mãe, viaja a Terra do Nunca. Jane cresce, casa-se, tem uma filha, Margareth, que assim como a mãe e a avó, visita a Terra do Nunca. Certamente, Margareth crescerá, casar-se-a e terá um filho que dará continuidade a história da família, vivendo ao lado de Peter Pan inesquecíveis aventuras.

O filme “Em Busca da Terra do Nunca” com Johnny Depp retrata a história da vida do escritor James Barrie, de como ele criou a peça “Peter Pan” e mostra a relação dele com os meninos Davies, desde o início, até a realização da peça.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Melissa Rocha

Jornalista apaixonada por cachorros e literatura, principalmente o gênero infanto-juvenil. Torcedora (e sofredora) do Palmeiras e Bahia. Fã de Drew Barrymore, Dakota Fanning, Anthony Kiedis e Red Hot Chili Peppers, All Star e Havaianas.

Blog Stats

  • 1,469,842 hits

No Twitter

RSS Ocasional

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
outubro 2009
S T Q Q S S D
« set   nov »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Páginas

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 76 outros seguidores

Mais Avaliados


%d blogueiros gostam disto: