19
out
09

Meu monstro de estimação

Cartaz Meu Monstro de Estimação(2)

Quando os irmãos escoceses Kristie e Angus encontram em uma praia um objeto em formato de ovo e decidem levar para casa o misterioso objeto, não imaginavam o que aconteceria com suas vidas dali a poucos dias.

As crianças depositaram o ovo em uma banheira e se assustam quando encontram apenas as cascas. Ao olharem para o lado vêem um bichinho diferente como ninguém nunca viu. Era do tamanho de um gato recém nascido, mas com um formato bem diferente, com um pescoço longo e com uma cabeça, narina e orelhas que lembravam um cavalo, porém o corpo parecia com o de uma tartaruga, mesmo não tendo casco e tinha nadadeiras como as de um crocodilo. Apesar desse misto de características comuns a tantos bichos, ele se parecia mesmo com um cavalo.

O avô dos meninos, Resmunga, quando viu o animal disse logo que ele era um monstro, o conhecido, para alguns, o cavalo-do-lago. Para as crianças, não era um monstro e sim Crusoé, o novo animalzinho de estimação da família.

Mas Crusoé não parava de crescer e de sentir cada vez mais fome, as sardinhas que Angus dava para ele não era mais suficiente e a banheira da casa não era o local mais apropriado para ele viver. Crusoé passou a viver no espelho d’água dos peixinhos dourados da casa da família e todos perceberam que ele precisaria, em pouco tempo, ser transferido para o lago, porém ele estava cada vez mais pesado.

O pai das crianças chega de viagem e, com isso, o deslocamento ficaria mais fácil. Mas outro problema surge: Crusoé era domesticado demais, como ele conseguiria viver em um lago com toda vida selvagem ao seu redor? Ainda existia a possibilidade dele não se adaptar a nova vida solitária no lago.

Mesmo com tantas incertezas, a família decidiu transportar Crusoé para o lago, mas quando foi deixado lá, o cavalo-do-lago não queria ficar, queria ir com as crianças. Kristie precisava dar as costas a ele e impedir que ele a seguisse, o que deixou Crusoé confuso, magoado e sentindo-se abandonado. Kristie sentiu-se muito mal e triste por ter feito isso com seu amigo, mas era preciso para que ele se adaptasse com mais rapidez.

Sempre que podiam, as crianças iam visitar o seu antigo bicho de estimação, mas sempre temiam que outras pessoas o avistassem no lado, devido ao tamanho que Crusoé ficou. Era bem difícil ele conseguir se esconder. Mas algumas pessoas o avistaram, porém bem rapidamente e não conseguiram vê-lo novamente. Daí surgiu em diversos jornais relatos de pessoas que avistaram o monstro do Lago Ness.

Um livrinho escrito por Dick King-Smith, fino e pequeno, com uma história que envolve amizade, cumplicidade familiar e dando uma pitada de revelação ao real mistério do Lago Ness e a criatura misteriosa que lá habita. É garantia momentos mágicos para a imaginação dos mais pequenos.

Anúncios

0 Responses to “Meu monstro de estimação”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Melissa Rocha

Jornalista apaixonada por cachorros e literatura, principalmente o gênero infanto-juvenil. Torcedora (e sofredora) do Palmeiras e Bahia. Fã de Drew Barrymore, Dakota Fanning, Anthony Kiedis e Red Hot Chili Peppers, All Star e Havaianas.

Blog Stats

  • 1,480,623 hits

No Twitter

RSS Ocasional

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
outubro 2009
S T Q Q S S D
« set   nov »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Páginas

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 76 outros seguidores

Mais Avaliados


%d blogueiros gostam disto: