04
nov
09

“O que é literatura infantil” – Lígia Cademartori

bras_q_literatura_infantil

O texto de apresentação do livro “O que é literatura infantil” de Lígia Cademartori é muito elucidatório e interessante.

 O que é literatura infantil, de certo modo, todo mundo sabe. Isso porque a maior parte das pessoas tem algo a ver com criança – seja filho, vizinho, sobrinho, aluno – e, razão inquestionável, todos já foram criança. Cinderela e Peter Pan, personagens de contos clássicos da literatura infantil, são tão amplamente conhecidos que designam, hoje, complexos psíquicos à semelhança do recurso de Freud ao Édipo – mito da tragédia grega de Sófocles – para dar nome a uma das primeiras descobertas da Psicanálise: o complexo de Édipo.

Atualmente, fala-se em complexo de Cinderela e em complexo de Peter Pan, nomes de dois recentes sucessos editoriais a respeito de determinados comportamentos. Não interessa, aqui, a maior ou menos representatividade desses complexos, mas a designação, esta sem, recurso a um repertório universal e que conta, por isso, com uma comunicação garantida.

O mito de Édipo poucos conhecem, mas todos sabem das circunstâncias da Cinderela e que fator determinou o seu final feliz. Esta personagem da literatura infantil, como tantas outras, integra o imaginário de um imenso número de pessoas no lado ocidental do globo e circula por diversas manifestações culturais.

A investigação analítica, contudo, só recentemente passou a dar atenção à produção literária voltada à criança, revelando o lugar que as personagens e os conflitos das histórias infantis ocupam no imaginário e o papel que desempenham no equilíbrio emocional da criança. Trabalhos de vertente psicanalítica, sociológica, pedagógica têm mostrado que a literatura para criança não é tão inócua assim, e que há algo de sério no reino encantado nas histórias infantis.

A principal questão relativa à literatura infantil diz respeito ao adjetivo que determina o público a que se destina. A literatura, enquanto só substantivo, não predetermina seu público. Supõe-se que este seja formado por quem quer que esteja interessado. A literatura com adjetivo, ao contrário, pressupõe que sua linguagem, seus temas e pontos de vista objetivam um tipo de destinatário em particular, o que significa que já se sabe, a priori, o que interessa a esse público específico.

Como, geralmente, o autor de literatura infantil não é criança e escreve para criança, a ausência de correspondência entre autor e leitor gera indagações que se aprofundam quando se considera o lugar de dependência da criança no mundo social.

Convém lembrar que, não faz muito tempo, fazia sucesso a coleção Biblioteca das Moças, destinada a um público feminino do qual se esperava o saudável e elegante hábito da leitura, mas sem nenhum contato com um tratamento adulto e lúcido de temas como sexo e poder. Essa literatura “feminina” filtrava, no adjetivo, o que convinha que a mulher soubesse e determinava, assim, suas expectativas.

Ora, a mulher também vive uma relação de dependência no grupo social. A questão passa a ser, portanto, o que caracteriza e o que pode a literatura que filtra o que o grupo dependente deve ler. Partindo-se daí, não se chegaria a pensar em literatura para negro, literatura para homossexual e, assim por diante, selecionando-se e circunscrevendo-se o que os dependentes e/ou segregados da grande sociedade adulta, masculina e branca devem ler?

A questão tem seus melindres, suas peculiaridades e sua necessidade. Seu exame exige que se considere a importância que o assunto está ganhando no Brasil de hoje; a questão do adjetivo – infantil – como uma definição do gênero; o momento em que surgiu a literatura infantil, porque isso permite identificar peculiaridades que acompanham o gênero desde seu nascimento; autores e obras que fazem a literatura infantil brasileira. Por último, como esses aspectos não conseguem se distanciar muito da preocupação com a educação e com o desenvolvimento, há que se considerar o papel da literatura nos primeiros anos. (CADEMARTORI, Lígia. O que é literatura infantil p. 7 a 10).

literatura infantil

About these ads

1 Response to ““O que é literatura infantil” – Lígia Cademartori”


  1. 1 Gabrielle
    fevereiro 29, 2012 às 7:45 pm

    Vccê tem o link do livro para baixar? Grata


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Melissa Rocha

Jornalista apaixonada por cachorros e literatura, principalmente o gênero infanto-juvenil. Torcedora (e sofredora) do Palmeiras e Bahia. Fã de Drew Barrymore, Dakota Fanning, Anthony Kiedis e Red Hot Chili Peppers, All Star e Havaianas.

Blog Stats

  • 1,288,456 hits

No Twitter

RSS Ocasional

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
novembro 2009
S T Q Q S S D
« out   dez »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

Páginas

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 54 outros seguidores

Mais Avaliados


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 54 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: